Se  estiver andando por Tóquio e seu estômago começar a roncar do nada, o que acha de acabar com a fome com uma tigela de ramen? Ele é saboroso, enche o estômago e pode ser degustado quando, onde e como você quiser. Basta procurar a placa com os caracteres らーめん ou ラーメン que são lidas como “ramen”.

Vamos sair para uma excursão por Tóquio, na qual conheceremos a história do ramen, como pedir um e, por último, mas não menos importante, ensinaremos como degustar um ramen de alta qualidade.

Vamos lá!

Japanese ramen

A história do ramen japonês

Dizem que a primeira tigela de ramen foi degustada no Japão no final do século XIX, trazida por imigrantes chineses em Yokohama. No entanto, levou décadas até o prato se tornar uma parte substancial da culinária japonesa. A razão é que o arroz seguiu como sendo a primeira opção dos japoneses quando a fome vinha. Contudo, o fim da Segunda Guerra Mundial mudou toda a história.

O Japão foi uma nação devastada pela guerra e a produção nacional de arroz ficou instável depois do conflito. Para piorar, logo depois houve uma das mais baixas colheitas de arroz da história do país. Na prática, significava que nem os japoneses e nem as tropas americanas no país tinham o que comer. Os americanos começaram, então, a importar trigo para o Japão, fazendo aparecer no país mais macarrão de trigo, exatamente o mesmo usado no ramen japonês.

No entanto, a população japonesa não estava lá muito feliz e satisfeita com a situação. O país tinha vários problemas. O governo seguia limitando o acesso à comida e a Yakuza (máfia japonesa) começou a assumir o controle do mercado de alimentos, abrindo restaurantes “ilegais” em todo o Japão. Muitos destes restaurantes eram de ramen. Atualmente, décadas depois, o ramen é parte inconfundível da cultura alimentar japonesa, na qual um estabelecimento pode ser encontrado em qualquer lugar. Em Tóquio, por exemplo, você encontra mais de 10 mil restaurantes.

ordering machine in ramen restaurant

Os restaurantes e os diferentes tipos do prato 

Assim como outros tipos de macarrão, o ramen japonês possui uma ampla seleção de sabores e variedades no Japão. Eles são separados em quatro grupos: Miso (soja fermentada), Shio (sal), Tonkotsu (carne de porco) e Shoyu (molho de soja). Cada um tem um sabor diferente e sua peculiaridade.

Quando for pedir um, a maioria dos restaurantes tem uma máquina automática de bilhetes na entrada, o que dificulta o pagamento com outra coisa que não seja dinheiro. Infelizmente não há opção de cartão de crédito. O dinheiro será sempre o rei quando se trata de restaurantes de ramen. Isso vale para o Japão como um todo, então é melhor levar dinheiro com você o tempo todo.

As máquinas na entrada geralmente possuem uma grande variedade de botões. Por meio deles é possível pedir de tudo, desde o sabor, até acompanhamentos e bebidas. Às vezes, os botões vêm com tradução em inglês, especialmente em áreas como Shibuya e Harajuku, onde há muitos turistas.

Agora, se não sabe o que pedir, existe uma regra que a maioria dos restaurantes segue para ajudá-lo. O botão esquerdo na parte superior da máquina costuma ser reservado para a especialidade da casa. Quando não tiver certeza do que pedir, tente arriscar o melhor do restaurante, pois provavelmente será surpreendido.

Personalizando seu ramen

Você escolheu o sabor e está com os bilhetes na mão. Agora é hora de personalizar o seu ramen. Dependendo do restaurante, os atendentes poderão fazer algumas perguntas quando você os entregá-los. Às vezes será possível conseguir um refil de macarrão de graça. Às vezes também será possível escolher um caldo mais leve ou mais forte.

Agora, abordaremos as perguntas mais comuns que os restaurantes fazem e o que você pode falar para deixar o ramen japonês com a sua cara.

  • Katamen – Prefere o macarrão um pouco mais duro? Então katamen é a palavra a ser dita. Ele é uma opção muito popular entre os clientes japoneses, pois o macarrão pode ficar bastante encharcado no caldo quente depois de um tempo.
  • Omori – Dependendo do restaurante, os atendentes podem sugerir o “omori” de graça quando você entregar os bilhetes. Omori significa uma porção grande extra de macarrão. Se estiver com fome responda com as mesmas palavras ou com “hai”.
  • Futsu – Se não está com tanta fome, basta dizer “futsu”. Trata-se de uma porção de tamanho médio e suficiente na maioria dos casos. Especialmente se você costuma beber o caldo.
  • Koime – O caldo é um elemento-chave e, se quiser um caldo mais espesso e pesado, pode pedir por isso. Lembra-se que nem todos os restaurantes oferecem essa opção, mas é sempre possível perguntar ao chef para ter certeza.
  • Usume – Se muito forte não for sua preferência, você sempre pode pedir o mais leve. Caso seja o caso, basta pedir “usume”.
  • Kaedama – Se o macarrão não for o suficiente e você ainda tiver bastante caldo na tigela, há uma solução. Peça mais macarrão. Nem todos os restaurantes oferecem esta opção, mas tente procurar pela palavra kaedama (替え玉) em algum canto da loja. O preço de outra porção de macarrão é cerca de 100 ou 200 ienes e elas são colocadas na mesma tigela. A opção é uma ótima maneira de preencher um estômago faminto.

man eating ramen

As feras do ramen – um passeio com os profissionais

Há um grupo no Japão que sabe tudo sobre ramen. Eles sabem os melhores restaurantes do país. A Go! Go! Nihon conheceu um especialista de ramen, chamado Hiroshi Shimakage, que já preparou mais de 5 mil tigelas de ramen ao longo dos anos e é um dos fundadores do aplicativo “Ramen Beast”. Ele nos levou por um tour de ramen pela eclética Tóquio para visitar dois novos e excitantes restaurantes de alta qualidade. Hiroshi Shimakage não só prova muitos e muitos ramen, como também tem uma longa experiência na cultura japonesa deste icônico prato.

Ele nos disse que não há regras específicas quando se trata de comer ramen, basta apenas comer do jeito que você gosta. Também não se preocupe se você não sugar o macarrão, essa é uma maneira totalmente aceitável de comer. Contudo, ele cita algumas dicas, como pensar e respeitar os outros clientes que esperam na fila. Como a maioria dos restaurantes de ramen são relativamente pequenos e os estabelecimentos precisam de clientes famintos para sobreviver, não se deve ficar muito tempo depois de terminar de comer. Especialmente durante o horário de rush do almoço e da janta.

De noite, Hiroshi Shimakage, levou o Go! Go! Nihon para visitar dois restaurantes. Um deles recebeu o prêmio de “novato do ano 2018”.

Um deles está a 10 minutos a pé da estação de Kichijouji, onde pessoas estão formando filas do lado de fora do restaurante de ramen. Uma tabuleta iluminada indica o nome da loja, chamada “Tombo”. Este restaurante serve o shio-ramen, com caldo leve e salgado. O cheiro é sem dúvidas acima de um ramen comum. Este restaurante recebeu o prêmio de “novato do ano 2018” por seu delicioso ramen e isso explica muito bem o motivo de tantas pessoas na fila a essa hora da noite. Quanto maior a fila, melhor o ramen, dizem os especialistas. O macarrão é perfeitamente preparado e o tempero é sem dúvida, algo especial. Depois de terminar a tigela, você fica perfeitamente cheio e revigorado. Sem dúvidas você vai visitar o restaurante de novo em um futuro próximo.

A nossa próxima parada da noite foi o recém-aberto Ramen-ya Ishibashi em Asagaya. Este restaurante de ramen serve o sabor de caldo de galinha, além dos básicos shio e shoyu ramen. A carne de frango que acompanha este ramen vai ficando um pouco crua, o que cria uma experiência única. O dono do restaurante também é um entusiasta do ramen, o que fará a visita valer a pena só por isso. É uma parada obrigatória se você gosta de um ramen com sabor refrescante e atendimento único.

O futuro do ramen japonês

O ramen se tornou imensamente popular não só no Japão, mas também em outras partes do mundo. Novas combinações e ingredientes aparecem com frequência e o ramen continua a evoluir em diferentes partes do mundo. É difícil, no entanto, dizer se estas variáveis estão em pé de igualdade com o ramen feito no Japão. O que se pode dizer é que o ramen feito no Japão oferece uma experiência culinária com muita história e curiosidades. Por esse motivo, ir estudar japonês no Japão com a Go! Go! Nihon não ajudará somente a melhorar seu japonês, mas também lhe dará a oportunidade de se deliciar com a cultura do ramen.

Quer ler mais sobre cultura japonesa? Não deixe de acompanhar o nosso blog, onde abordamos tudo o que você precisa saber sobre o Japão!

いただきます!(Itadakimasu!)