O xintoísmo e o budismo são as duas principais religiões na terra do sol nascente, coexistindo harmoniosamente. Em termos históricos, o xintoísmo no Japão foi instituído somente a partir do século VI. Nesse momento, ele teve contato com outras religiões e doutrinas religiosas como o Budismo e o Confucionismo. No século VIII surgem os primeiros textos xintoístas, como o Kojiki (古事記) e o Nihon Shoki (日本書紀).

Embora muitos japoneses possam se identificar como budistas, xintoístas ou ambos, a religião tipicamente não desempenha um grande papel na vida cotidiana. No entanto, muitos rituais e cerimônias culturais são religiosos, baseados em um ou outro, como o nascimento, casamentos, funerais, ano novo e festivais sazonais, chamados de matsuri (祭り).

Basicamente, o xintoísmo se caracteriza pelo culto à natureza e aos espíritos ancestrais. Eles são reverenciados por meio de orações e oferendas realizadas em altares por todo Japão, inclusive dentro de casas e em lugares inusitados, como à beira de uma estrada.

A adoração tem por finalidade agradecer ou fazer pedidos de ajuda, como recuperar de alguma doença ou ser aprovado em algum exame. Já as oferendas, geralmente são feitas em produtos como arroz, sal e saquê. Em qualquer templo xintoísta é possível ver diversos barris de saquês dos mais variados produtores.

Vamos aprender o significado e as etapas básicas da adoração em um templo xintoísta japonês.

Jinja

O templo xintoísta é chamado de jinja (神社) em japonês.  É um local de culto e morada dos deuses xintoístas, chamados kami (神). Embora somente uma ou duas palavras (‘templo’ ou ‘santuário’) sejam usados em português, além de jinja, em japonês os templos xintoístas podem ter diversos nomes, como myōjin-shataisha, yashiro entre outros. Os templos também guardam objetos sagrados, que não são expostos ao público.

Os japoneses costumam visitar templos durante o ano novo, setsubun (節分), shichigosan (七五三) e outros festivais. Os recém-nascidos são tradicionalmente trazidos para o templo logo após o nascimento e os casamentos tradicionais japoneses são realizados no jinja.

templo xintoísta

Sanpai

Tenha em mente que o templo é um lugar de culto, e como tal, você deve estar vestido adequadamente e ser respeitoso com os costumes. Especialmente ao entrar na construção principal, conhecida como shaden (社殿), ou em algum lugar especial dentro do jinja, os homens devem usar ternos com gravatas e mulheres ternos ou vestidos. O ato de adoração é chamado sanpai (参拝).

Como fazer o sanpai

    1. Curve uma vez antes de caminhar pelo torii. Esteja consciente de que você está entrando em um local de adoração.
    2. Purifique-se com a água no chozuya (手水舎), ou às vezes chamado chozusha/temizuya/temizusha. Pegue a água com o hishaku (柄杓) em sua mão direita e despeje sobre a sua esquerda. Mude de lado e derrame a água em sua mão direita com a esquerda. Segure-o em sua mão direita novamente, despeje água na palma da mão esquerda para levar à boca para enxaguar. Purifique sua mão esquerda novamente com a mão direita, depois endireite o hishaku para deixar a água cair no cabo e, em seguida, coloque-a voltada para baixo.
    3. Caminhe ao lado do sando em direção ao altar.
    4. Curve-se antes do saisenbako (賽銭箱) e jogue sua moedas de oferenda na caixa. Você pode colocar qualquer quantia, mas é dito que moedas de 10 ienes e moedas de 500 ienes são azaradas. Por outro lado, diz-se que moedas de 5 ienes trazem sorte, porque goen (五円), ou 5 ienes, soa como goen (ご縁) ou destino. Se você quiser usar notas, elas devem ser novas e colocadas em um envelope branco com o seu nome e endereço.
    5. Puxe a corda para tocar o sino e expulsar os demônios. Se estiver lotado, você pode pular esta etapa.
    6. Curve duas vezes, bata palmas duas vezes, ore e curve-se uma vez. Chamado nirei-nihakushu-ichirei (二礼二拍手
一礼), você deve curvar-se duas vezes, depois colocar as palmas das mãos juntas no peito em posição de oração. Bata palmas duas vezes, depois mantenha as mãos em frente ao peito em posição de oração e ore baixinho, depois abaixe as mãos para os lados e curve-se novamente.
    7. Fim. Depois de terminar, você pode ir comprar um omikuji, omamori, pendurar uma ema, pegar um goshuin ou andar pelo resto do templo.

Torii

O torii (鳥居) costuma ficar na entrada do templo xintoísta e é um portal que separa o resto da sociedade da morada dos deuses. Curve-se antes de entrar ou caminhar por ele, como faria ao entrar na casa de alguém. Curve-se novamente assim que terminar de visitar, depois de passar pelo torii, voltado para ele novamente.

Como andar no sandō

O meio do sandō (参道, さんどう), ou ‘passarela do templo’, é reservado para a passagem dos deuses. Portanto, você deve evitar andar no meio, para demonstrar respeito. Se você precisar atravessar o meio do sandō, abaixe a cabeça para mostrar respeito ou curve-se uma vez em direção ao altar antes de cruzar.

templo xintoísta

Omikuji

Omikuji (御神籤) são tiras de papel da sorte que podem ser compradas por cerca de 100 ou 200 ienes, dependendo do templo. A forma mais comum de ‘tirar a sorte’ é chacoalhar uma caixa de madeira com diversas varinhas e tirar uma delas. Geralmente, o papel mostrará sua sorte no ranking de daikichi (大吉), kichi (吉), chukichi (吉吉), shokichi (小吉) e kyo (凶), que significa sorte excelente, sorte geral, sorte média, pequena sorte e azar, respectivamente.

Alguns templos oferecem outros métodos de tirar a sorte. Por exemplo, o Kifune-jinja, no norte de Kyoto, oferece um papel que deve ser colocado na água, revelando assim a sua sorte.

Cada templo xintoísta tem crenças diferentes, mas geralmente as pessoas levam para casa seu omikuji para que possam manter a sorte com elas. Se, no entanto, você tirar azar, você deve amarrar o papel em lugares específicos dentro da área do templo.

Omamori

Omamori (お守り), literalmente ‘proteger’, é um tipo de amuleto vendido em templo xintoísta. Há muitas variedades de omamori, cada um com forma, tamanho e cor diferente. Cada amuleto tem uma função diferente, seja para dar sorte ou proteger, por isso compre com atenção. Muitos templos não fornecem tradução.Vale a pena arriscar o inglês (se o seu japonês não for o suficiente) e em último caso, use um tradutor ou dicionário. Entre os diversos tipos de amuletos, os mais comuns são: segurança no trânsito, saúde, aprovação em exames, prosperidade nos negócios, sorte no amor e gravidez saudável.

Os amuletos são substituídos uma vez por ano para evitar a má sorte do ano anterior. Os antigos geralmente são devolvidos ao mesmo templo em que foram comprados, para que possam ser descartados adequadamente. Uma tradição japonesa é devolver logo após o ano novo. Desta forma, o visitante do templo começa o ano novo com um omamori novo.

Ema

Ema (絵馬) são pequenas placas de oração feitas de madeira. O nome literalmente significa “figura de cavalo”. Os adoradores xintoístas escrevem suas orações ou desejos (alguns até fazem desenhos lindos!) na parte de trás das placas e depois as penduram em uma local específico no templo, onde acredita-se que os deuses as recebem.

A parte da frente da ema muda de templo para templo, cada uma com uma ilustração mais bonita que a outra. Esses desenhos são relacionados com o templo ou com o zodíaco chinês do ano. Elas custam em média 300 ienes. Vale também comprar a ema como um souvenir japonês bem único.

templo xintoísta

Goshuin

Por fim, algo menos conhecido por estrangeiros, é o goshuin (御朱印). Essa palavra basicamente significa ‘selo vermelho/escarlate’ (o ‘go’ inicial é um prefixo de honra em japonês). Esse ‘selo’ pode ser adquirido por visitantes tanto de templos xintoístas quanto budistas.

Ele varia de templo para templo, mas basicamente contem carimbos (em vermelho) com imagens/símbolos associados com o templo e uma escrita feita na hora por um sacerdote (algo lindo de se ver sendo feito na sua frente, na minha opinião) , dizendo o nome do templo, data da visita e outras escritas (nome de divindades, orações etc) provando que o visitante esteve no templo. Para receber o goshuin, você precisa de um goshuincho (朱印帳), um livro especial projetado para guardar cerca de 30 selos. Todo templo vende um, sendo também possível adquirir em papelarias como a Loft. Uma dica: o goshuincho do monte Koya (高野山) tem as capas de madeira, o que o torna bem único.

Agora que o templo xintoísta japonês deixou de ser um mistério, com certeza você terá uma experiência totalmente nova na próxima vez fizer uma visita. E para aqueles de vocês que já estão no Japão e preocupados em passar o JLPT, que tal visitar um templo em um futuro próximo? Toda ajuda é bem-vinda!