Temos muitas vezes a impressão de que o Japão está na vanguarda em diversas áreas. Porém, quando se trata de lixo zero, parece que o país ainda está na idade das trevas. Mesmo em países com uma mentalidade avançada, viver sem produzir muito lixo é uma tarefa difícil. Imagine então mudar para um país onde é comum embalar tudo ao extremo, usando sacolas plásticas uma atrás da outra. Pode ser bem complicado, para dizer o mínimo!

Dito isso, podemos também afirmar que não é impossível ter uma vida lixo zero no Japão!

Pode ser difícil abandonar alguns hábitos com a conveniência das konbini e das máquinas de venda automática em todos os cantos. Mas, se você planejar com antecedência e pensar de maneira inteligente, é possível traçar um caminho para viver um estilo de vida lixo zero no Japão.

Reunimos algumas dicas e truques para te ajudar nessa façanha e até economizar algum dinheiro ao mesmo tempo.

lixo zero no Japão

1. Na hora de beber

A primeira dica pode parecer um pouco óbvia, mas carregue sua própria garrafa de água. A água da torneira no Japão é potável e, ao carregar uma garrafa e reabastecê-la quando possível, você fica hidratado e evita a armadilha das máquinas de venda automática.

Recentemente, o MyMizu foi lançado no Japão. É um aplicativo gratuito que mostra todos os locais próximos onde é possível encher a garrafa de graça.

Se você não é fã de água da torneira ou não consegue encontrar nenhum lugar próximo, existe a opção de comprar filtros de carvão, conhecido em japonês como binchōtan (備長炭). Esse carvão vegetal remove até 75% do cloro na água e pode ser colocado na garrafa com água da torneira. Além disso, você pode reutilizar o carvão posteriormente no jardim ou como um purificador de ar.

Se você gosta de algo um pouco mais forte, como café, então o Starbucks é uma boa pedida. Você pode levar o seu próprio copo/xícara/recipiente para o estabelecimento e até ganhar um desconto. Existem também muitos cafés independentes que fazem isso. A nossa recomendação é ir neles primeiro, em vez das grandes redes. Aqui está uma lista prática para te ajudar.

lixo zero no Japão

2. Na hora de comer

Fazer compras no seu supermercado local pode ser uma tarefa um tanto difícil se você levar um estilo de vida lixo zero. Se você planejar com antecedência, não terá problemas.

Em primeiro lugar, para frutas e legumes é melhor fazer compras em quitandas locais, onde o produto não será embalado em plástico. Em segundo lugar, você deve evitar as lojas de conveniência (sim, sabemos o quão difícil é) o máximo possível, pois a maior parte dos produtos vendidos nelas vem em plástico, mesmo as bananas individuais.

Para enlatados, grãos etc, recomendamos os atacados, onde é possível comprar itens em grandes quantidades. O Costco e o METRO são alguns exemplos de lugares ótimos para comprar de tudo, de cereais e farinha a grãos de café. Como tal, há menos embalagens e menos plástico. Se não for possível você ir até uma dessas lojas grandes, ainda é provável que exista uma versão menor delas na sua região.

lixo zero no Japão

3. Na hora de se vestir

Quando se trata de lixo zero em roupas, a opção mais óbvia é visitar brechós. O Japão possui excelentes locais, onde é possível encontrar roupas e objetos usados em ótimo estado.

Os bairros de Shimokitazawa, Nakano e Koenji, em Tokyo, são bons lugares para encontrar excelentes roupas vintage. Muitas vezes, você vai ver que pessoas doam roupas que mal foram usadas.

Embora seja difícil encontrar o tamanho certo com tanta facilidade, é uma oportunidade de ser criativo com as roupas.
Como talvez seja muito difícil achar tudo o que precisa em brechós, tente evitar as principais lojas de moda rápida (fast fashion) e pense eticamente quando você precisar adquirir algo novo. A Uniqlo é uma das melhores lojas para isso. Eles se esforçam para usar fontes sustentáveis e diminuir o impacto no meio ambiente.

Se você quiser reciclar roupas antigas em bom estado, leve-as para as lojas nas áreas mencionadas acima. Além disso, tanto a Uniqlo quanto a H&M oferecem esquemas para recolher roupas velhas para reciclagem. A H&M ainda dá um voucher para cada sacola de roupas.

lixo zero no Japão

4. Consertos e reutilização

Apesar dos grandes esforços do país para tornar tudo o mais conveniente e descartável possível, na verdade, muitas técnicas tradicionais de reparo e manutenção também são originárias do Japão.

Boro (ぼろ)

Boro significa roupas esfarrapadas. Também é usado para descrever roupas que foram remendadas ou consertadas, mas onde os reparos são deixados visíveis e contribuem para a estética da roupa.

Sashiko (刺し子)

Sashiko é um tipo de costura que geralmente faz parte do boro. Isso se traduz como pequenas facadas ou pequenas perfurações. É quando o fio é usado como um complemento decorativo na peça de roupa, além de ser usado para consertá-la.

Kintsugi (金継ぎ) 

Kintsugi é o método de consertar cerâmica quebrada com linhas visíveis. Muitas vezes isso é feito com laca e depois pó de ouro é aplicado por cima. As quebras são consideradas parte da história da peça. Embora essa técnica possa ser um pouco mais difícil de dominar para alguém em casa, é sempre possível adaptá-la com uma alternativa um pouco mais barata ao ouro, como bronze, cobre e alumínio.

5. Frases úteis

Não quero canudo – Sutoroo wa irimasen (ストロー はいりません)
Não preciso de sacola ou recibo – fukuro to reshito wa iranai (袋とレシートはいらない)
Posso usar minha xícara? – watashi no cappu o tsukatte mo ii desu ka (私のカップを使ってもいいですか)
Tudo bem desse jeito – Sono mama de ii desu (そのままでいいです)

Agora que sabe onde comprar e o que dizer aos vendedores, você está cada vez mais perto de levar um estilo de vida lixo zero no Japão!

Se você quiser ler mais sobre a cultura japonesa, não deixe de seguir nosso blog.