A sua viagem ao Japão foi finalmente confirmada, o passaporte e visto já estão prontos e agora é só arrumar as malas e partir para a aventura. É nessa hora que surge a dúvida: O que levar ao Japão? A decisão sobre o que colocar ou não na bagagem depende muito se a viagem será para turismo, estudo ou trabalho. Embora existam itens indispensáveis nos três casos, o artigo de hoje abordará uma situação de intercâmbio, seja de 3 meses ou mais. Como o seu voo deve estar prestes a partir, que tal entrarmos logo no assunto?

1. Documentos e cópias

Sem sombra de dúvidas o principal da viagem. Com o passaporte, visto, cartões de embarque e demais documentos você passará em segurança pelo aeroporto e imigração, e poderá começar com tranquilidade a vida no novo país. Ao chegar no Japão será preciso fazer o cartão de permanência, chamado de Zairyū Card (在留カード), necessário para abrir conta em banco, assinar um plano de celular e entrar no seguro-saúde japonês.

Todos os documentos, sem exceção, são importantes durante a sua estadia no país. Então é sempre bom ter cópias do original, para o caso de alguma emergência. Guarde eles em um local seguro, mas acessível, pois, em caso de terremoto ou outras catástrofes (torcemos para que nada aconteça) pode ser preciso deixar o local onde você está o mais rápido possível.

2. Dinheiro em espécie, cartão de crédito e porta-moedas

Na seção de itens financeiros indispensáveis podemos citar esses três. O dinheiro em espécie serve para você se virar no país logo após a chegada, já que será preciso gastar com o transporte do aeroporto até a sua futura residência. Ele serve também para cobrir as despesas iniciais com utensílios de casa e demais itens de uso cotidiano.

O cartão de crédito ajudará a cobrir despesas mais pesadas e pode ser um aliado quando faltar dinheiro. Contudo, nem todos os cartões internacionais funcionam no Japão, então é importante estar atento a esse detalhe, e abrir uma conta em um banco japonês o mais rápido possível. Na hora de sacar dinheiro, as agências do Japan Post costumam aceitar mais bandeiras, então fique atento a ele.

Por sua vez, o porta-moedas é um item indispensável em um país, onde todos os estabelecimentos comerciais devolvem o troco sem faltar um único iene! Haja moedas de um iene no bolso!

Presa di corrente giapponese

3. Adaptador de tomada

Para quem carrega muitos eletrônicos, o adaptador de tomada é um item de vida ou morte. O padrão de tomada no Japão é diferente do utilizado no Brasil, então esquecê-lo impedirá você de usar todos os seus eletrônicos brasileiros, há menos que alguém envie um do Brasil ou, por sorte, você encontre vendendo em alguma loja de produtos brasileiros ou estrangeiros. Quanto a quantidade, não existe um número certo de adaptadores para se levar, já que depende bastante do número de eletrônicos. Na hora da dúvida, garanta pelo menos dois adaptadores.

4. Smartphone

Considerando que o smartphone é um item indispensável nos dias de hoje, ele não pode faltar em sua viagem. No entanto, para usar o aparelho no Japão é preciso ficar atento aos detalhes. Usuários de iPhone podem não ter tantos problemas, uma vez que parte dos produtos da Apple funcionam com um chip japonês ou podem ser desbloqueados para uso no país.

Para quem pretende usar o Wi-Fi, cada vez mais estabelecimentos comerciais, como lojas de conveniência, tem disponibilizado pontos para uso gratuito e com velocidade decente, porém fora desses locais pode ser difícil achar uma conexão de qualidade.

Para maiores detalhes confira esse artigo sobre o celular no Japão.

5. Medicamentos

Apesar do Japão ser um dos países mais avançados na área da saúde é sempre importante ir prevenido. Para quem não tem um nível de japonês muito bom, o melhor é não se arriscar em comprar remédios em alguma farmácia da vizinhança, afinal há sempre chances de escolher o produto errado. Em um primeiro momento, dê preferência aos remédios do Brasil e leve uma pequena quantidade dos principais medicamentos. É importante não levar demais para evitar problemas nos aeroportos e nunca esqueça da receita médica.

Outra justificativa para se levar remédios do Brasil é que nem todos os medicamentos japoneses funcionam bem para os brasileiros. Levando-se em consideração que foram feitos para o povo local, muitos são produzidos de acordo com as necessidades biológicas dos japoneses.

Apenas lembre-se que nem todos os tipos de medicamente são permitidos, e que há um limite na quantidade que você pode levar ao Japão. Caso precise levar grandes quantidades, será preciso pedir uma autorização especial, chamada Yakkan Shoumei (薬監証明).

6. Roupas

Para quem tem um físico semelhante ao japonês é possível dispensar esse item, pois o país está bem servido no quesito roupas de qualidade. Caso não se encaixe na categoria e precise de roupas do tamanho padrão do Brasil, um estoque simples e somente com as peças necessárias são uma boa pedida. Tente não exagerar na quantidade de peças para não deixar a sua mala muito pesada e acabar tendo que pagar uma tarifa extra no aeroporto por excesso de peso.

Ficar atento a moda no Japão também é importante, pois, roupas como regatas não são comuns nem para homens, nem para mulheres, mesmo durante o verão. Evitar usar vestimentas incomuns no país ajudam na hora de se criar uma boa impressão e, quem sabe, iniciar um contato. De início pode ser um pouco chato se adaptar ao gosto local, mas novas descobertas e um novo senso de moda podem ser desenvolvidos com a experiência.

Scarpe da ginnastica senza lacci

7. Calçado fácil de colocar e tirar

No Japão existe o costume de tirar os calçados antes de entrar na casa das outras pessoas ou em parte dos locais públicos, então é importante levar um modelo fácil de colocar e tirar. Isso evita deixar os outros esperando, além de ser vantajoso para você mesmo.

8. Produtos de higiene

São muitos os produtos de higiene que podem ser levados do Brasil, especialmente quando o seu conhecimento da língua japonesa ainda não for dos melhores. Produtos muito específicos como shampoo, condicionador, cremes, hidratante e protetor solar podem ser difíceis de comprar em um primeiro momento sem fazer confusão, então levar algumas unidades do Brasil nunca é demais.

De longe, o item mais importante da lista de produtos de higiene é o desodorante. Embora seja possível encontrar desodorantes no Japão, os modelos disponíveis nem sempre conseguem evitar a transpiração de um ocidental, pois, foram produzidos pensando no físico dos japoneses.

No entanto, é sempre bom ficar atento ao cheiro, uma vez que no Japão não é comum usar desodorantes ou perfumes com cheiro forte. Há muitos japoneses que compram produtos criados com o objetivo de tirar o cheiro e não perfumar, então andar muito perfumado pode causar incômodo as pessoas ao redor.

Por fim, e não menos importante, no Japão é incomum encontrar papel toalha nos banheiros ou guardanapo nos restaurantes. Muitos japoneses carregam a sua própria toalha e estoque de lencinhos de bolso. Os dois itens serão muito utéis em toda a sua estadia no país.

9. Alimentos

Sair do próprio país também tem suas desvantagens, como deixar de comer a comida local. Para nós brasileiros, o feijão, a carne brasileira e a feijoada podem fazer falta, então para quem sente que vai sofrer com o problema é importante levar um pequeno estoque de produtos nacionais. Contudo, tente não exagerar na quantidade, afinal é preciso ficar atento a inspeção no aeroporto e ao peso das bagagens. Se servir de consolo, em regiões com muitos brasileiros é comum encontrar mercados de produtos verde-amarelos, então sempre é possível matar a saudade.

10. Cartão de visita

Chamado de meishi (名刺) no Japão, o cartão de visita é muito comum no país, principalmente no ambiente empresarial. Mesmo que você seja um estudante é importante ter uma caixinha própria com várias cópias do seu cartão de visita. Eles podem ser uteis para consolidar novos contatos e há situações formais como festas ou jantares em que os japoneses poderão entregar o cartão de visita deles para você, então tenha os seus em mãos para poder retribuir a gentileza.

Não existe um padrão quanto ao que deve ser escrito no cartão, o importante é colocar todas as informações que você julgue necessárias como nome, local de trabalho ou estudo, contato e etc. Em relação ao layout dê uma caprichada, mas não abuse de cores berrantes. Prefira um visual clean e que permita fácil visualização das informações.

Colocou tudo na mala?

Colocou tudo na mala?

Fez o checklist da bagagem? Não está faltando nada? Esquecemos de citar alguma coisa? Caso você ache que faltou mais algum item, deixe a sua opinião nos comentários ou compartilhe o post nas redes sociais para gerar mais sugestões e discussões. Boa viagem!

Se você quiser conhecer mais sobre o Japão e sua cultura, siga o blog do Go! Go! Nihon.