Os torneios de sumô são um evento famoso no mundo todo. Uma arte marcial que depende da força bruta e de usar o seu peso para derrubar o oponente. Mas como funciona exatamente e como conseguir ingressos?

Uma breve história do Sumô

Sumô (相撲) pode ser literalmente traduzido como “golpear o outro”. Acredita-se que o sumô se originou no século III, devido à descoberta de imagens de lutadores de sumô datas dessa época.

Muito da origem do Sumô tem ligação com a religião xintoísta e dizem que se originou de danças e rituais do xintoísmo, na qual os indivíduos lutavam contra deuses ou kami (神), uma espécie de espírito.

A modalidade evoluiu ao longo dos anos e sua popularidade variou de acordo com o governante da época e a região, persistindo por muitos e muitos anos.

A forma mais moderna do sumô existe desde 1684. Obviamente, não faz tanto tempo assim para uma arte milenar, mas isso demonstra o quão pouco o sumô mudou no cenário histórico da cultura japonesa.

Os lutadores de sumô treinam juntos em seu heya (部屋), que são locais de treino, até mais do que quartos. Os mais novos devem ser treinados pelos mais velhos, que mantém as tradições passadas de geração em geração. Espera-se que cada lutador permaneça em seu heya durante a maior parte de sua carreira e eles não podem lutar com lutadores do mesmo heya em torneios.

Sumo tournament in Tokyo

O evento

A prática do Sumô é, em última análise, uma arte marcial e esporte. Sua essência é bem simples. Uma luta de sumô consiste de dois rikishi (力士, lutador) que tentam forçar o outro a sair de um anel ou fazê-lo tocar no chão com uma parte do corpo que não sejam os pés.

As partidas são realizadas em um anel de 4,55 metros de diâmetro e cercado por um círculo feito de palha de arroz. O anel ou dohyo (土俵) é uma plataforma elevada de argila.

Não há muitas regras no sumô, mas há muitos rituais em torno do esporte e, como mencionado, a maioria deles têm sua origem na religião xintoísta do Japão. Por exemplo, o ritual de purificação com o sal usado para limpar o anel antes da partida vem de rituais da religião.

Os lutadores de sumô são conhecidos pelo seu tamanho e os trajes bastante distintos. Suas roupas são conhecidas como mawashi (廻し) e a sua cor ou material diferem segundo o nível do lutador e se eles estão em um torneio ou treino. O material pode ser de algodão ou seda. Já a cor muda de acordo com o ranking ou superstições do lutador. Quando estão diante do público, eles são obrigados a vestir roupas tradicionais japonesas, embora isso dependa de seu nível.

Conseguindo ingressos

Todos os anos há 6 torneios oficiais, três em Tóquio na arena Kokugikan e três em outras regiões do país, sendo um em Fukuoka, um em Osaka e um em Aichi. As rodadas em Tóquio são em janeiro, maio e setembro. Cada torneio dura cerca de 15 dias, por isso é grande as chances de ver uma partida durante este período.

O melhor lugar para comprar ingressos é aqui, eles listam as datas de início de cada um dos torneios e vale a pena ficar de olho, pois os ingressos se esgotam rápido. Os torneios de 2020 já tiveram as datas divulgadas.

Os preços ficam em torno de 3800 ienes para um assento comum, dependendo do local. Se você preferir comprar no caixa no dia da partida, o ingresso custará 38 mil ienes.

Perdeu o torneio? 

Não se preocupe, existem muitas outras formas de ver uma partida de sumô. Se você estiver passeando pelo Ryogoku, pode passar pelo campo de treinamento dos lutadores. Há alguns heya onde é possível assistir gratuitamente aos rituais de treinamentos matutinos conhecidos como Keiko (稽古). Varia bastante de heya para heya, então pedimos que verifique antes de ir.

Outra alternativa é um tour de primavera que percorre várias províncias japonesas. Apesar das datas e locais estarem listados e, existir uma programação para cada dia, não há muitas informações disponíveis e será preciso ligar para a organização para obter mais informações (tudo em japonês!). Recomendamos, então, que você chame seus novos amigos japoneses para que eles liguem no seu lugar ou, se você for ousado, pode praticar o seu japonês.

Se também perder essa oportunidade, por que não explorar o Museu de Sumô no primeiro andar do Ryokoku Kokugikan? Passe lá e depois passeie na área do Ryogoku para comer o prato oficial dos lutadores de sumô, Chanko Nabe e muito Gyoza.

Traduzido do original por Leandro Nisishima