A História do Monte Fuji: símbolo nacional do Japão

Tempo de leitura: 4 minutos
history of mount fuji

O Monte Fuji aparece na parte de trás da nota de 1 mil ienes, e pode ser conferido na primeira página ao fazer uma pesquisa de imagens no Google do Japão. Ele é um vulcão quase perfeitamente simétrico, elegantemente coberto de neve durante os meses de inverno. O Monte Fuji, a montanha mais alta do Japão, evocado e imortalizado em inúmeras obras de arte como as Vistas do Monte Fuji de Hokusai, é um símbolo lendário e cultural do Japão, e com razão. A história do Monte Fuji também é fascinante.

A montanha deslumbrante pode ser vista desde a movimentada capital, Tóquio, até seus serenos cinco lagos circundantes, as Terras Altas de Asagiri-kogen, ou até mesmo até o Ropeway de Nihondaira, na província de Shizuoka. Não é de admirar por que essa majestosa montanha se tornou um dos símbolos nacionais que representam o Japão. Vamos dar uma olhada mais aprofundada na história do Monte Fuji.

O significado por trás do nome

Em japonês, a montanha é referida como “Fuji-san”, mas isso não é o mesmo sufixo honorífico anexado aos nomes das pessoas (Hidaka-san, Takizawa-san, etc.). Este san é na verdade uma leitura sino-japonesa (chinesa) do caractere montanha (山, yama). As raízes do Monte Fuji são profundas, remontando até os primeiros registros históricos escritos do Japão, e assim, Fuji-yama (富士山, montanha Fuji) é lido como Fuji-san.

Embora tenha sido objeto de fascinação para poetas e escritores por séculos, o significado real é debatido. O Kanji para Fuji, 富 (riqueza ou abundância, pronunciado fu) e 士 (samurai ou homem com status, pronunciado ji), são conhecidos como ateji – caracteres selecionados porque suas pronúncias correspondem às sílabas do nome.

Ao longo da história do Monte Fuji, não há registro do momento em que foi nomeado pela primeira vez, mas no Conto do Cortador de Bambu, um texto do século X, diz-se que o nome vem de “imortal” (不死) e também da ideia de soldados subindo as encostas da montanha. Afinal, antigos samurais usavam a base da montanha como uma área remota de treinamento.

Outro conto afirma que Fuji veio de “sem igual” (不二, não + dois), e ainda outro afirma “infinito” (不尽, não + esgotar). O missionário britânico Bob Chiggleson argumentou que as raízes de Fuji provêm dos Ainu (povo indígena do norte) e de sua palavra para “fogo”. Existem muitas definições diferentes, mas talvez o Monte Fuji signifique todas essas coisas. Na longa e sinuosa história do Japão, o Monte Fuji sempre permaneceu lá, forte, tendo significados diferentes para todos que já estiveram maravilhados sob sua sombra.

caderno e obras de arte retratando a história da arte do Monte Fuji.

A história do Monte Fuji

Sua localização e forma esteticamente agradável significam que a história do Monte Fuji está bem documentada. Após 1600, quando Tóquio se tornou a capital e as pessoas começaram a viajar por Tokaido – a principal rota de viagem do Japão na época – muitos tiveram a oportunidade de ver a montanha. Diz-se que a primeira subida no monte foi em 663 por um monge, e a primeira por um estrangeiro foi feita pelo Sir Rutherford Alcock em 1868.

Existem milhares de obras de arte, mas as 36 Vistas do Monte Fuji e as Cem Vistas do Monte Fuji de Hokusai, assim como as 36 Vistas do Monte Fuji de Hiroshige, são imperdíveis para quem se interessa pela história da arte do Monte Fuji e como a montanha e seus arredores podem ter parecido no passado. Elas também proporcionam uma visão incrível do mundo romântico e hedonista do estilo de arte Ukiyo-e do Japão.

Perto da atual Gotemba, havia uma base de treinamento para a casta guerreira do Japão, os samurais. O xogum Minamoto no Yoritomo começou o treinamento de arco e flecha lá no período Kamakura (texto em inglês) em resposta à falta de habilidades de arquearia de seus samurais.

A história do Monte Fuji e seu simbolismo percorre todo o Japão. Seja em viagens, arte ou mesmo guerra, ela não foi e nunca será ignorada ou esquecida.

Veja, ande e explore

Centenas de milhares de pessoas escalam o Monte Fuji todos os anos, e a época mais popular é de julho a agosto. De outubro a maio, o clima é severamente frio e perigoso, por isso a escalada é fortemente desencorajada. A maioria sobe à noite para pegar o nascer do sol (御来光, goraiko) pela manhã.

A escalada não é a única atividade relacionada ao Monte Fuji. Áreas cênicas em todo o Japão oferecem uma ótima vista, além de atividades como acampamento e lazer, incluindo os cinco lagos ao redor: Lago Kawaguchi, Lago Yamanaka, Lago Sai, Lago Motosu (a vista na nota de 1 mil ienes) e Lago Shoji. As possibilidades são quase infinitas, e cada local oferece uma experiência única.

Talvez seja por isso que o Monte Fuji se tornou um ícone cultural e é por isso que a história do Monte Fuji é tão fascinante. Japoneses de todas as esferas da vida e de todas as épocas, em algum momento, pararam e olharam para esta montanha maravilhosa com admiração. Artistas desenharam, poetas escreveram, aventureiros caminharam, estudantes estudaram, e agora, pessoas de todo o mundo vêm voando para fazer exatamente o mesmo.

Aproveite você mesmo o Monte Fuji

O Monte Fuji, a montanha vulcânica mais alta do Japão, continua a observar seu país crescer. Agora que você sabe mais sobre a história do Monte Fuji, que tal vir e fazer parte dela? Confira o Studytrip.com e procure por atividades especiais envolvendo o Monte Fuji, como a observação de Shibazakura!

Compartilhe este artigo

Go! Go! Nihon

Artigos relacionados