Já falamos sobre os mistérios desta magnífica montanha, mas se você quiser escalar o Monte Fuji, precisará de um pouco mais de informação para se preparar para a jornada. É possível ver desde crianças em idade escolar até idosos andando de um lado para o outro como se não fosse nada. Tenha em mente que existem algumas coisas importantes que você precisa planejar com antecedência. Vamos falar sobre elas aqui.

Primeiro de tudo

Mas vamos com calma! Há alguns detalhes importantes que você precisa saber antes de começar a planejar sua aventura. O primeiro é quando o monte está aberto. Oficialmente, ele fica aberto desde o início de julho até meados de setembro, com as datas mudando um pouco a cada ano, dependendo do clima. É possível escalar fora dessa época, mas é provável que o monte estará coberto de neve e será perigoso, a menos que você seja um alpinista experiente.

As cabanas da montanha não estarão abertas fora dessa época e você não poderá acampar lá se quiser fazer uma longa caminhada. Se você decidir viajar fora dessa época, registre sua subida com as autoridades locais, para que eles saibam da sua rota e horários. Assim, caso aconteça algo, eles poderão enviar uma equipe de busca.

Em seguida, você precisa escolher quando deseja ir. Tudo isso porque escalar o Monte Fuji é considerado um ritual de passagem e, como o Japão é muito populoso, há grandes chances das trilhas ficarem lotadas. Se puder, evite a época das férias escolares, feriados e vá nos dias úteis. Isso tornará a jornada muito mais fácil e prazerosa.

Escalar o Monte Fuji

Rotas

Existem 4 rotas para escalar a montanha. Cada uma tem diferentes pontos de partida que variam do norte ao leste e ao sul da montanha. A maioria das pessoas usa ônibus, que podem ser pegos de vários lugares, e começa na 5ª estação de cada rota. Pesquise cada rota para ver qual é a melhor para você e não se esqueça de planejar sua jornada de e para a 5ª estação, bem como sua viagem até o cume da montanha.

Yoshida

Esta é supostamente a trilha mais fácil, mas por esse mesmo motivo também é a mais popular. Começa a uma altitude ligeiramente mais alta (2300 m) e possui uma inclinação menos íngreme, tornando-a um pouco mais fácil. As trilhas para subida e descida são diferentes, o que ajuda a dispersar a aglomeração. No entanto, ela tem a mesma subida e descida da trilha Subashiri após a 8ª estação. Atenção: muitas pessoas acabam fazendo fila para chegar ao topo, porque às vezes fica muito lotado.

Subashiri

O ponto de partida é baixo (2000 m), mas é uma das rotas mais interessantes. O início da trilha passa por algumas das únicas áreas arborizadas do vulcão, tornando o passeio mais envolvente. Algumas partes podem ser um pouco mais íngremes e você terá que escalar algumas pedras. A subida e descida são diferentes, mas esta trilha é muito menos movimentada que a Yoshida até chegar ao topo. É importante ressaltar que a descida é descrita como uma “corrida de cascalho”. É como correr por uma duna de areia, mas com muito mais rochas pelo caminho. Pode ser complicado se as suas pernas estiveram muito cansadas da subida, por isso tome cuidado.

Gotemba

Uma das trilhas para escalar o Monte Fuji com o ponto de partida mais baixo (1450 m). Leva mais tempo, mas é a mais silenciosa das trilhas, e a subida e descida diferem aproximadamente na metade do caminho. Há uma inclinação de cascalho perto da 8ª estação, o que pode ser difícil de percorrer.

Fujinomiya

Esta tem o ponto de partida mais alto (2500 m). É também a segunda rota mais movimentada. A subida e a descida utilizam o mesmo caminho, tornando-a um pouco mais complicada com o número de pessoas subindo e descendo. É também uma das trilhas mais rochosas e íngremes. No entanto, há um bônus adicional: se você estiver mesmo com vontade de andar, poderá fazer uma caminhada que começa na costa ao sul e vai para a 5ª estação, onde você pode fazer a subida completa. Definitivamente não é para os inexperientes.

Cabanas no monte

As cabanas da montanha variam dependendo da trilha escolhida. Geralmente, é recomendável começar a escalada à noite, ficar em uma cabana o máximo que achar necessário e depois terminar a escalada pela manhã. Existem algumas razões para isso. A primeira é que você poderá ver o nascer do sol no topo do Monte Fuji, o que é uma experiência única e incrível. O segundo motivo, mais importante, é que essa pausa oferece uma chance para descansar e ajustar-se aos níveis mais baixos de oxigênio, reduzindo a chance de contrair o mal da montanha.

Algumas cabanas têm pequenas barracas de comida, oferecendo a oportunidade de fazer uma refeição quente para aquecer o corpo. Mesmo que você tenha decidido não ficar em uma cabana durante a noite, vale a pena fazer uma refeição quente quando tiver a chance. Há também banheiros e, claro, máquinas de venda automática para suprir suas necessidades. Os banheiros em geral custam uma pequena taxa. Lembre-se, não há encanamento no topo de um vulcão e o lixo precisa ser levado para baixo, por isso a taxa é bastante razoável.

A reserva pode ser um pouco complicada e ajuda se você souber japonês. No momento, não há sites de reservas e você precisará telefonar. É essencial planejar com antecedência, pois as cabanas podem esgotar. Os custos variam entre ¥5.000 e ¥7.000, incluindo algumas refeições. Este site (em inglês) contém links para as listas das cabanas da montanha em cada trilha.

Preparação é fundamental

Apesar de crianças e idosos escalarem o Monte Fuji, é provável que será mais difícil do que você pensa. Vale a pena se exercitar regularmente e ter o equipamento certo. O mal da montanha pode nocautear as pessoas mais saudáveis e um pequeno deslize pode machucar muito se você cair nas pedras.

Recomendamos o seguinte:

  • Botas de caminhada boas – aquelas com apoio no tornozelo e as que você já usou muito. Não use botas novas, seus pés vão morrer!
  • Roupas quentes e leves – no topo, você estará a 3,776 m de altura. Faz frio, principalmente à noite e, no final da temporada, pode até nevar. Você vai se aquecer ao caminhar, mas ao parar sentirá o frio.
  • Água – a quantidade recomendada de água para a subida e descida é de cerca de 2 litros por pessoa. Beba pequenas quantidades regularmente. A desidratação pode causar mal da montanha.
  • Lanches – se você puder, compre uma refeição em uma das cabanas da montanha. Durante a trilha, coma pequenos lanches com frequência. Isso manterá seus níveis de energia equilibrados.
  • Protetor solar – não há proteção contra os elementos e, mesmo que pareça frio se o sol sair, você se queimará.
  • À prova d’água – o clima é bastante instável na montanha e, mesmo que não pareça que vai chover, tudo pode mudar 5 horas depois e 2000 m acima do mar.
  • Chapéu – bom para se proteger em qualquer tipo de clima.
  • Lanterna – se você for escalar a noite, é melhor ter algum tipo de lanterna.

As últimas coisas que você talvez não saiba sobre escalar o Monte Fuji. Existem máquinas de venda automática, incluindo uma no cume. Há também uma caixa de correio e wifi lá. Por fim, há uma equipe de moradores locais aposentados que sobe e desce a montanha com facilidade para limpar os lixos que as pessoas porcas deixem para trás. Não seja essa pessoa e não deixe de dizer olá e obrigado se cruzarem com eles!

Então é isso, depois de fazer sua mala e verificar o clima, você estará pronto para a aventura. Comece a escalar!

Para dicas úteis sobre a vida no Japão, siga o blog do Go! Go! Nihon.