O Japão é, culturalmente, um dos países mais ricos do mundo. Sua vasta história, inúmeras regras implícitas, tribos e costumes singulares tornam o país um dos mais fascinantes e únicos do mundo.  E neste solo fértil nasceu uma das maiores subculturas do mundo, a cultura Otaku.

Otaku é um termo com vários significados, desde a percepção ocidental (amante de videogames/anime/manga) até o conceito japonês de pessoas com enorme interesse em eletrônicos e transportes ferroviários. Mas o que torna a cultura Otaku uma parte do intrínseca do cotidiano japonês, ao invés de simplesmente representar uma parcela de sua população que se identifica com um hobby específico?

Um evento permanente

Ao contrário de outras subculturas populares, como a cultura “Geek” americana, a cultural otaku está enraizada no DNA japonês, no dia a dia do país.

Por exemplo, em vários lugares do mundo, na ocasião de algum evento ou comemoração específica ligado a cultura “Geek”, é comum que bairros e até cidades inteiras se “transformem” durante dias específicos. A cidade de São Diego, nos Estados Unidos, é um excelente exemplo! Durante os dias da famosíssima Comic Con toda a cidade californiana se transforma em um verdadeiro paraíso da cultura pop.

Por que essa comparação? Bom, imagine isso durante todos os dias do ano? Imagine ruas, avenidas, bairros e cidades inteiras, repletas de eventos, estabelecimentos, adereços, e até hotéis e restaurantes temáticos com elementos da cultura Otaku!

O famosíssimo Gundam Café, o Luida’s Bar (restaurante temático de Dragon Quest), a Tóquio One Piece Tower, o J-World , parque temático da Shonen Jump, com áreas temáticas para todos os grandes sucessos da editora: Naruto, One Piece, My Hero Academia, Haikyuu!! e Dragon Ball, são alguns desses exemplos de como a cultura Otaku faz parte do cotidiano Japonês. Sem mencionar os inúmeros centros Pokemon, o museu do estúdio Ghibli e as várias atrações sazonais temáticas da Universal Japão. Pontos turísticos para nós, parte do cotidiano para a sociedade japonesa.

Estátua Gundam Tóquio

A cultura Otaku no dia a dia

Entrar no tema me lembra das minhas antigas aulas de japonês com uma professora nativa. Como me surpreendi pelo conhecimento ir muito além de obras mundialmente populares como One Piece e Naruto. Sua paixão por Kino no Tabi e Ano Hana me deixou de boca aberta. Conforme as aulas passavam, comecei a compreender melhor como a cultura Otaku é vista no Japão. Parte do dia a dia é o que de mais sucinto veem a minha mente.

Como para qualquer outro aspecto cultural, alguns tem mais afinidade, outros não, alguns gostam menos, enquanto outros gostam mais. Fato é, ignorar a cultura Otaku quando o assunto é a sociedade japonesa contemporânea é impossível.

Como parte ostensiva da sociedade japonesa, os efeitos da cultura Otaku são sentidos das mais diversas maneiras. Jovens talentos, autores, artistas e animadores são alçados ao sucesso pela indústria de animes, mangas e videogames. Os dubladores, Seyuus (声優), deixam sua marca registrada e tornam-se nacional e internacionalmente conhecidos. Bandas e músicos tem seu sucesso reafirmado e canções transformadas em verdadeiros fenômenos dentro e fora do Japão pela sua presença na trilha sonora de grandes produções, semelhante ao que acontece no Brasil com as trilhas sonoras de novelas.

Noites de Karaokê ao som de Moonlight Densetsu, GO!! ou We Are!, viagens para as colossais estátuas de gelo tematizadas em Hokkaido, passeios em família pela Tóquio Disneyland e suas várias atrações sazonais homenageando personagens e obras da cultura Otaku. Aliás, que melhor exemplo do impacto da cultura Otaku do que o parque da Disney incluir atrações de Final Fantasy, Pokémon e outras obras da cultura Otaku?

Mas, talvez, o mais importante sejam as nuances, os pequenos detalhes que não chamam tanta atenção. A doação do criador de One Piece para a prefeitura de Kumamoto, sua província natal, após o terremoto de 2016. O aumento exponencial do turismo doméstico na província de Gifu após o sucesso do filme Kimi no Na wa. Essas coisas trazem à tona a união orgânica entre sociedade e cultura. E são, na minha opinião, a parte mais bela desta união.

A cultura Otaku é indissociável da sociedade japonesa contemporânea. Me arrisco a dizer, ainda, que hoje em dia a própria sociedade japonesa é indissociável da cultura Otaku. De Astro Boy à One Piece, da década de 60 aos dias de hoje, a cultura Otaku conquistou o coração dos japoneses e do mundo, assim como, ajudou a fazer com que o mundo se apaixonasse pelo Japão.

Essa paixão e entusiasmo estimulou o time da Go! Go! Nihon! a traçar um de seus percursos de viagens de estudo mais populares, o Japão Otaku. Além disso, em nossos vários eventos não faltará oportunidades de mostrar toda sua paixão pela cultura Otaku. Cantando sua música preferida num karaokê ou conhecendo e conversando com outros fãs em nossos churrascos! Vamos para o Japão?! Nunca foi tão fácil!

Se você quiser conhecer mais sobre o Japão e sua cultura, siga o blog do Go! Go! Nihon.