Um marinheiro de primeira viagem no Japão pode achar estranho ver tantas pessoas nas ruas usando máscaras. Para nós brasileiros, apenas médicos ou pessoas muito doentes escondem seus rostos com o acessório, porém, no Japão, muito além das doenças e demais suposições, os japoneses têm “n” motivos para usá-las. Muitos deles nem sequer passam pelas nossas cabeças e nesse artigo vamos desvendar o mistério por trás das máscaras.

Os 5 motivos do uso das máscaras

1. Saúde

O principal motivo dos japoneses usarem máscaras é a saúde. A questão revela um aspecto interessante da sociedade japonesa. Uma grande parcela adota o acessório para evitar passar doenças e germes para os outros, principalmente em locais públicos com grande concentração de pessoas. No Japão existe a ideia de não causar incômodo aos outros, então usar a máscara evita o “incômodo” de outra pessoa ser infectada por alguma doença sua ou conviver com os espirros e tosses alheias.

No entanto, não são apenas os doentes que usam a máscara, ela pode ser adotada como um meio das pessoas saudáveis diminuírem os riscos de pegar uma doença. Em trens, metrôs e ônibus da cidade a prática é bastante comum e os japoneses a adotam sem temer o olhar alheio, já que toda a população segue o costume quando julga necessário. Isso acontece porque desde pequenos, os japoneses são educados em relação ao uso das máscaras. Nas escolas públicas e em outras instituições há informações variadas sobre elas.

Japanese women serving food wear masks

2. Pólen

O segundo uso mais comum é para evitar ser contaminado pelo pólen das flores, principalmente na primavera. Nessa época do ano é comum ver muitos japoneses usando a máscara, pois uma parcela considerável da população tem alergia ao pólen eliminado pelo cedro (杉, sugi) e pela cipreste (ヒノキ, hinoki). As lojas de conveniência, farmácias e o comércio em geral, ficam agitados no final de março e na primeira metade de abril, com a venda de máscaras atingindo o maior acumulado do ano.

O que se vê nas ruas é um misto de pessoas mascaradas com a beleza da queda das flores, sejam das cerejeiras ou das outras muitas espécies que florescem nessa época do ano. Um detalhe curioso é que a alergia ao pólen aumentou depois da Segunda Guerra Mundial, não tanto por uma questão imunológica dos japoneses, mas sim por conta do aumento na variedade de plantas nos parques das cidades nipônicas.

3. Proteção

Os japoneses também usam máscara para conferir proteção. Claro que a prevenção contra doenças ou o combate ao pólen caracterizam um tipo de proteção, porém, a questão tratada nesse tópico é um pouco diferente. Por proteção podemos pensar duas coisas: espantar o frio do outono/inverno e esconder imperfeições na pele.

O primeiro ponto é que o Japão é um país de extremos quando se trata do clima. No frio as temperaturas baixam bastante, chegando a menos de zero em algumas regiões. A máscara pode ser usada para prevenir doenças, comuns nessa época do ano, mas adquire também a função de “aquecedor”, pois o rosto coberto pelo acessório é aquecido com o calor do próprio usuário. Japoneses de todas as idades e ambos os sexos utilizam a máscara dessa forma.

Quando estive no Japão adotei a máscara em certas ocasiões, especialmente em locais frios ou quando viajava em ônibus noturnos. Ao descer do veículo o frio é insuportável, então a máscara cumpria a função de aquecer o rosto castigado pelo gelado vento do inverno. Outra bom uso foi durante as viagens de avião, já que o interior de qualquer aeronave costuma ser bastante frio.

Além da função de aquecedor, para as mulheres a máscara tem um segundo uso. As japonesas são consideradas extremamente vaidosas, então sair de casa sem maquiagem ou com imperfeições no rosto é um pesadelo para parte delas. Ao colocar a máscara é possível esconder a falta de maquiagem e qualquer espinha ou outro detalhe visual. O acessório também cai como uma luva em momentos de preguiça e falta de vontade de se embelezar.

A Japanese girl wearing a mask with a colorful design

4. Moda

Para muitos brasileiros ou ocidentais pode parecer estranho pensar nas máscaras como um item fashion, mas no Japão elas têm esse status. Para comprovar o fato, basta observar nas ruas do país que nem todas as máscaras são os tradicionais modelos brancos. Há cores variadas como preto, vermelho, amarelo e outras com desenhos dos mais variados tipos. A simples existência de diversas opções revelam o papel fashion do acessório e o potencial oculto de um mercado que segue crescendo no Japão.

Há lojas especializadas em modelos de máscaras, com diversas cores, tamanhos e modelos. Os itens são consumidos por públicos diversos, sobretudo, por jovens que procuram se destacar da multidão. Integrantes de subculturas também adotam as máscaras, pois elas podem conferir um visual mais misterioso, agressivo, cool ou obscuro ao seu usuário.

A adoção das máscaras como item fashion gera discussões no país, porém desde a sua popularização no começo dos anos 2000, é fato que o acessório já faz parte da moda de rua das grandes cidades japonesas.

5. Distanciamento social

O quinto e último motivo dos japoneses colocarem máscara e saírem andando pelas ruas é a vontade de não se destacar. Considerando que o acessório é de uso comum e ninguém estranha ver outra pessoa utilizando, não há nenhum impacto visual que faça alguém se destacar dos demais, a menos que seja um modelo especial de máscara.

Parte dos japoneses utiliza o objeto para evitar contato direto com os outros, uma vez que suas expressões faciais ficam mais difíceis de serem decifradas pelas pessoas ao redor. Em escolas e universidades, alunos mascarados têm menos chances de serem chamados para responder uma pergunta, já que o professor pode deduzir que o estudante não está bem, além do fato da máscara criar uma barreira visual e psicológica.

A questão psicológica é um ponto interessante. Quando estive no Japão evitava o uso da máscara, a menos em caso de doença. Sendo um estrangeiro no país, queria estar aberto ao contato com os nativos, então não usar a máscara era uma forma de mostrar a minha intenção. Conhecendo o “código” existente por trás do uso da máscara é possível interpretar as ações e pensamentos dos japoneses e também moldar a forma como nos apresentamos a eles. Esse aspecto social envolvendo as máscaras é um aspecto bastante intrigante.

Usar ou não usar? Eis a questão! 

Após ler o artigo, você usaria ou não a máscara no Japão? A opção fica a cargo de cada pessoa, embora em determinados contextos sociais a adoção ajuda a evitar conflitos, a mostrar respeito pelos costumes locais e isso pode levar você a conhecer novas pessoas. Por outro lado, em outros contextos as pessoas podem interpretar que você não quer conversa com elas, afastando-se de você. É importante entender as nuances por trás das máscaras e julgar por conta própria cada situação. Para quem não quer de jeito nenhum fazer isso sozinho, você pode conversar com outras pessoas. Basta compartilhar o nosso artigo em suas redes sociais!

Se você quiser conhecer mais sobre o Japão e sua cultura, siga o blog do Go! Go! Nihon.