O Japão possui um dos melhores sistemas de transporte público do mundo. Limpo, eficiente e pontual, o transporte público no Japão abrange as quatro principais ilhas do país. É um sistema agora privatizado composto principalmente pelas empresas JR Hokkaido, JR Leste, JR Central, JR Oeste, JR Shikoku e JR Kyushu e outras empresas privadas menores. Juntas, elas administram uma rede nacional de linhas de ferroviárias, metroviárias, bem como o Shinkansen (o famoso trem-bala), ônibus e balsas.

No começo, pode ser intimidante, ainda mais para nós brasileiros que não estamos acostumados com tantas linhas de trem e metrô! Mas não se preocupe, estamos aqui para tornar tudo mais fácil.

transporte público no Japão

Todos a bordo

Antes de tudo, é importante saber se você está viajando de metrô, trem JR ou de outra empresa (existem muitas). São linhas diferentes e, portanto, algumas elas terão estações diferentes. As estações JR sempre terão o símbolo JR acima delas, e os metrôs/linhas locais serão diferentes dependendo da cidade. Isso também é importante saber se você estiver aqui como turista e tiver o JR Pass, pois ele só possibilita viagens de graça nas linhas da JR.

Ao chegar a uma estação, é importante ler as placas. Não existe nada em português, mas felizmente, quase tudo também estará em inglês, (com raras exceções no interior). É um ótimo exercício para estudantes de japonês ficar tentando decifrar os kanjis! Por conta dessa diferença de empresas, toda vez que você tiver que fazer uma baldeação entre linhas diferentes, você precisará primeiro sair da linha que você está (inserindo seu bilhete ou cartão IC nas catracas) e entrar na próxima na linha.

As passagens devem ser comprados em máquinas – que geralmente têm a opção de mudar para o inglês – localizadas perto das catracas. Guichê com atendente é algo raro aqui. Eles geralmente encontram-se em estações maiores, como Shinjuku e Tokyo, e são dedicados para vender passagens para longas viagens.

O custo do transporte público no Japão é baseado na distância que o passageiro viaja, e não um preço único, como acontece nos metrôs do Brasil. Na primeira tela da máquina, você encontrará uma seleção de números. Estes são os preços das passagens. Descubra quanto é necessário para chegar ao seu destino olhando para o mapa, geralmente localizado logo acima das máquinas, e compre o preço do bilhete. No mapa, sua estação atual geralmente será o quadrado em destaque. O número abaixo de cada parada é o preço de quanto vai custar para chegar da estação atual até o destino final.

Se você tiver que fazer baldeação, você terá que encontrar a linha de transferência correspondente (uma linha de cor diferente no mapa) e certifique-se de sair na estação que conecta as duas linhas. Parece um pouco confuso no começo, mas o mapa facilita bastante.

Tudo isso de descobrir o preço da passagem soa muito complicado, e é mesmo. Porém, assim como o Bilhete Único em São Paulo e o MetrôRio no Rio de Janeiro, o transporte público no Japão possui diversos cartões do mesmo tipo, chamados de IC cards. Cada empresa possui o seu, porém o mesmo cartão pode ser utilizado em praticamente qualquer ônibus, trem e metrô do país, salvo algumas exceções.

Faça um favor a si mesmo: assim que chegar no Japão, adquira um IC card logo na estação do aeroporto. Em Tokyo, as principais marcas são o PASMO (emitido pelo Tokyo Metro) e o Suica (da JR). Como todos são iguais, não importa qual você tenha. O cartão custa 500 ienes e irá facilitar muito a sua vida aqui. Como no Brasil, ele funciona como um cartão pré-pago, sendo necessário carregar ele nas máquinas (essa ação é chamada de charge aqui, então procure por essa opção nas máquinas). Tanto para entrar como para sair das catracas é necessário tocar o cartão no leitor. Esse cartão também pode ser usado em diversas lojas das estações e também em máquinas de bebidas.

Uma dica: como se ainda usa muito dinheiro em espécie aqui, você vai acabar ficando com muitas moedas. Junte todas elas (com exceção das moedas de 1 e 5 ienes) e carregue o seu IC card.

transporte público no Japão

Descobrindo como se locomover

Na estação, procure por placas que indiquem na direção que você precisa ir. As linhas têm nomes que correspondem a uma grande estação/cidade para onde estão indo, portanto, se a sua parada for ao longo do caminho, é isso que você está procurando. Por exemplo, a placa pode dizer ‘Akihabara Line – to Kanda’, o que significa que é a Linha Akihabara que faz o seu caminho para a estação de Kanda. Se a sua parada for na direção oposta, você precisará encontrar a Linha Akihabara apontando para uma estação nessa direção, ao contrário de Kanda. Descubra em qual estação ou linha você precisa se dirigir e siga as placas.

Ao longo da plataforma, normalmente você encontrará placas indicando em qual linha e estação você está, em qual direção está indo e todas as estações ao longo do caminho.Uma dica para economizar o seu tempo: nas plataformas, geralmente também é possível encontrar placas que mostram em detalhes cada estação daquela linha. Por exemplo, você pode descobrir quais vagões estão mais perto da saída, quais saídas têm escadas rolantes ou quais são os melhores trocar de linha.

Utilizando a tecnologia para não se perder

Hyperdia é uma ferramenta incrível que encontra qualquer rota de transporte público no Japão. Ele tem uma interface em japonês, chinês e inglês. Basta inserir os detalhes e você receberá o tempo total de viagem, a distância, o custo e exatamente onde precisará ir para cada transferência, caso tenha alguma. É possível utilizar diversos filtros, como querer usar o JR Pass, evitar ônibus etc. Um problema com Hyperdia é sua dificuldade em reconhecer grafias de nome de estação, assim tenha certeza que você sabe exatamente como a estação é soletrada (incluindo se tem hífen ou não).

O site também possui aplicativos para o iOS e Android, tornando o seu uso bem prático no dia a dia. Para usar o transporte público dentro da cidade, recomendo também o Google Maps. Ele indica perfeitamente os nomes das estações e linhas. Apesar de ele também ser bom para viagens a longa distância, o Hyperdia faz um trabalho melhor ao oferecer diversas opções e filtros.

Demora um pouco de tempo para pegar o jeito do transporte público no Japão, mas isso faz parte da aventura! Em pouco tempo, você vai ver como é bom ter acesso a um sistema tão maravilhoso. Planeje com antecedência (especialmente no final da noite, quando os trens param de funcionar), carregue o seu cartão e boa viagem!

Se você quiser conhecer mais sobre o Japão e sua cultura, siga o blog do Go! Go! Nihon.