É difícil escrever sobre os grandes responsáveis pela minha paixão por animações. A inquietação em esmiuçar toda a história de descobertas que me levam muito além do Japão é enorme. O Estúdio de animação Ghibli foi a minha porta de entrada para um caminho sem fim de admiração pelas grandes narrativas animadas e suas infinitas possibilidades. E eu espero conseguir dividir um pouco dessa história com vocês.

O Studio Ghibli é um estúdio de animação Japonês responsável por alguns dos mais aclamados longas-metragens animados já produzidos. Fundado em 15 de junho de 1985 por Hayao Miyazaki, Isao Takahata, Toshio Suzuki e Yasuyoshi Tokuma. Nesses recém-celebrados 33 anos, o Studio Ghibli que nos presenteou com suas imersivas histórias, estonteantes ambientações e apaixonantes personagens.

estúdio de animação ghibli Miyazaki desenhando

Hayao Miyazaki e Isao Takahata

Os rostos mais conhecidos por trás do Ghibli são os de seus diretores, Hayao Miyazaki e Isao Takahata.

O mais discreto dos dois, Takahata era tido por muitos como o coração do Studio Ghibli. Durante sua carreira no estúdio, Takahata dirigiu apenas 5 filmes. Cada um deles absolutamente único. A beleza, impermanência e melancolia são temas recorrentes em suas obras. Nas nuances e momentos efêmeros do cotidiano ele encontrava solo fértil para sua criatividade sem limites. Com animações estilisticamente tão diferentes, a estética dos filmes de Takahata são uma atração à parte. Em Meus Vizinhos os Yamada, ele nos traz um estilo carregado de inspiração nas tirinhas de quadrinhos clássicos Japoneses. Enquanto em sua última obra-prima, O Conto da Princesa Kaguya, Takahata inova ao levar um refinado estilo artístico de aquarela até uma narrativa que parece ter sido pensada exclusivamente para ela.

Hayao Miyazaki, para muitos, o rosto do Estúdio de Animação Ghibli, dispensa muitas apresentações. É a mente por trás dos mais conhecidos filmes do estúdio. Notoriamente, A Viagem de Chihiro, único filme de língua não-inglesa a ganhar o Oscar de melhor longa de animação. Os filmes do Ghibli, inclusive, colecionam nomeações e prêmios. Só no Oscar o estúdio contou ainda com as indicações de O Castelo Animado,  Vidas ao Vento, O Conto da Princesa Kaguya e As Memórias de Marnie. Voltando ao Mestre Miyazaki, seus trabalhos tem como marca registrada temas como a humanização, o ser humano e sua forma de se relacionar com a natureza e a tecnologia, a tênue linha de percepção entre o bem e o mal, o pacifismo frente contextos de violência, a transição da infância para a adolescência e maturidade, e suas inesquecíveis protagonistas.

A força feminina nas obras do Estúdio de animação Ghibli

“Eu me tornei cético quanto a norma implícita de que apenas porque um garoto e uma garota protagonizam um mesmo filme, um romance deve acontecer.” Miyazaki uma vez disse. “Ao invés disso, o que eu quero é retratar um tipo de relacionamento um pouco diferente, em que os dois lados se inspiram mutuamente, se eu for bem-sucedido, talvez eu esteja mais perto de uma verdadeira expressão de amor.”

Nos filmes do Studio Ghibli, os romances são substituídos por conquistas pessoais, realizações e metas de suas protagonistas. De princesas guerreiras até adolescentes inseguras lutando por independência e traçando seus próprios caminhos em busca de conhecimento e propósito.

Miyazaki ainda deixa claro em outra afirmação o papel das protagonistas em suas obras. “Muitos dos meus filmes contam com fortes, independentes e corajosas protagonistas que não pensam duas vezes em lutar pelo que acreditam. Elas precisarão de um amigo, um incentivador, mas nunca de um salvador. Qualquer mulher é tão capaz de ser uma heroína, quanto qualquer homem é de ser um herói.”

estúdio de animação ghibli vidas ao vento

Novos ares para a animação japonesa

À frente da composição de várias das trilhas sonoras do Estúdio de animação Ghibli, Joe Hisaishi é um dos responsáveis por nos fazer imergir com tamanha facilidade nos infinitos mundos concebidos por Hayao Miyazaki e Isao Takahata. Nos colocando a bordo de uma montanha-russa de sentimentos e emoções.

O nome do estúdio vem do apelido que os italianos usavam para os seus aviões de reconhecimento saariano durante a Segunda Guerra Mundial, que por sua vez é derivado de uma antiga palavra da Líbia que significa algo como um forte sopro de vento quente que atravessa o deserto do Saara. A teoria por trás da escolha do nome, além do fascínio de Miyazaki por aviação, é a de que o Studio Ghibli iria trazer novos ares para a indústria de animação japonesa.

Há sempre mais o que falar sobre o Estúdio de animação Ghibli. Sem dúvidas novos ares vieram, mas não só para a indústria de animação japonesa. As obras do Ghibli inspiraram e continuam a inspirar artistas de todo o mundo. John Lasseter, o homem por trás dos grandes filmes da Pixar, abertamente disse, “Sempre que ficamos presos, sem saber que caminho seguir, na Pixar ou na Disney, eu coloco uma sequência de filmes do Miyazaki para nos inspirarmos novamente.”

Se você precisa de mais um motivo para ir ao Japão, em 2022 será inaugurado um parque temático do estúdio. E caso queira já ter um gostinho do fantástico universo do Estúdio de Animação Ghibli, o Museu Ghibli pode te proporcionar essa experiência. O museu está Localizado em Mitaka, oeste de Tóquio e a aproximadamente uma hora das nossas principais escolas.

Uma homenagem ao mestre

Eu pensei muito em Isao Takahata ao redigir esse texto. Ele se despediu de nós no dia 5 de abril de 2018. Takahata dirigiu O Túmulo dos Vaga-lumes, a animação mais delicada e sensível que eu já assisti. Os filmes de Isao Takahata são lembranças constantes de que o essencial é realmente invisível aos olhos.

Espero que você seja muito bem-vindo ao fantástico universo do Estúdio de animação Ghibli. Histórias de aquecer o coração, encher os olhos de lágrimas e arrancar os sorrisos mais sinceros te aguardam. Eu espero também que esse texto te instigue a buscar ainda mais sobre as pessoas e histórias por trás dessas obras. E finalmente, boa viagem ao navegar por algumas das maiores narrativas da história do cinema!

Se você quiser conhecer mais sobre o Japão e sua cultura, siga o blog do Go! Go! Nihon.